sexta-feira, 12 de outubro de 2012

O Silêncio Interior




O Silêncio Interior
Pelo Ir. +Tácitus, S.I.

"Somente em Deus, ó minha alma, espera silenciosa; dele vem a minha salvação...".
Salmos 62:1
                                                                  
                                                                   "Bom é guardar a salvação do Senhor, e isso em silêncio...".
Lamentações 3:26


Calar, o quarto verbo dos sábios que procede Querer, Ousar e Saber. Calar, tão difícil de praticar seja pela necessidade profana de comunicação, seja pelo descontrole em manter-se quieto. É costume falarmos que o homem possui 2 olhos, 2 ouvidos, 2 orifícios nasais, porém 1 só boca; muitos acreditam que nossa constituição nos indica a necessidade de falar menos e escutar mais.
Estaria o homem em silêncio mesmo estando calado?

Sei da importância em não apenas controlar nossos impulsos externos, antes de externar qualquer palavra ou frase num diálogo, seja em nossa vida profissional, seja pessoal. A prudência e a paciência são virtudes importantíssimas à aquele que deseja labutar seu eu interior, controlando nossos impulsos, descontroles e ansiedades que nos levam a tagarelar profanamente, sem objetivo, sem rumo, sem vida, apenas bagunça.

Sei que o Silencio Interior está muito além disso.
Não basta fecharmos a boca para não falarmos besteiras desnecessárias. Antes sei que é necessário calarmos nossa mente, normalmente descontrolada em pensamentos intermináveis, fora de foco e sem objetivo. O homem pode estar vivendo aos barulhos orquestrais numa turbulência de bagunça mental, mesmo estando calado de boca fechada. Pensamento é som, e esse som ecoa por todo nosso interior e vibra de acordo com a qualidade vibracional, na mesma freqüência que a natureza de nossos pensamentos. Como pode almejar o "Calar" dos sábios se tal buscador não se mantém em silencio mental?

O Silencio Interior está muito alem disso.
Em seu interior mental bagunçado por maus pensamentos, ou pensamentos incessantes e esses por suas qualidades vibrando em nosso interior, despertam emoções. A emoção é um motor fortíssimo suscetível aos pensamentos, assim não me admira que toda pessoa mentalmente bagunçada, sofre constantemente dentro de si. Suas emoções assim como seus pensamentos, são turbulentos como um temporal em alto mar, com vendavais que vem de todos os lados, e leva o barco rumo a lugar nenhum deixando quase à deriva seus tripulantes. Mesmo calado, o buscador pode estar num temporal em alto mar de suas emoções, e isso, não é Silencio Interior.

Silêncio é sossego, calma, paz, tranqüilidade. Muito mais que uma ação, é antes, um estado de espírito. É uma conquista que a arduamente o buscador adquire pelos seus próprios esforços. O Silêncio Interior é um mar tranqüilo, calmo de águas límpidas e de brisa refrescante num admirável pôr do Sol. O verdadeiro sábio sabe por sua experiência que por mais ruidoso e barulhento que esteja seu redor, seu Mar Interior permanece inalteradamente tranqüilo, calmo e em paz. Calar-se exteriormente é apenas uma escolha, se assim o Sábio o desejar. Essa tranqüilidade é o resultado do equilíbrio e harmonia em que reinam seu eu mental, emocional e espiritual, que muito antes de calar sua boca, já está em paz consigo mesmo há muito tempo.

O Silêncio Interior é acima de tudo, uma arte.
Tão proveitoso silêncio em sua plenitude, nos coloca em contato com o que há de mais Divino e Nobre no ser humano, nossa Alma, nosso Princípio Inteligente. Tal silêncio, o qual comungamos com o Deus de nosso coração e com Ele formamos um, tal silencio que une, que eleva e que, diz a nós mais que palavras. O Silencio Interior é a porta pelo qual o Divino nos comunica sua sabedoria, seus desígnios; é através dele que erijo a base de minha grande obra, que culminará em minha reintegração ao Todo.

O som do Silencio Interior, inaudível ao ouvido profano, orquestra harmoniosa de Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu e-mail para retornarmos seu comentário.