quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Glossário de Termos Alquímicos e Herméticos – Parte 2




DECREPITAÇÃO: Ação de aquecer o sal comum com um cadinho para tirar a umidade.

DELÍQUIO: Ou deliqüescência, Resolução natural dos sais em água por exposição em um lugar úmido.

DESFLEUGMAR: Consiste em separar a água contida nos corpos (ou fleugma), por evaporação ou destilação.

DESTILAÇÃO: Operação durante a qual se separam as partes sutis dos corpos sólidos ou líquidos, ou ainda o espírito da matéria que o engolira.

DIANA: Ver Lua.

DIGESTÃO: Desagregação, involução ou maturação da matéria obtida expondo-se o vaso que a contém ao calor do banho-marinho por um tempo conveniente.

DRAGÃO: Um dragão mordendo sua cauda: a unidade da Matéria. Um dragão nas chamas: símbolo do Fogo. Vários dragões se combatendo: a putrefação. Dragão sem asas: o Fixo. Dragão alado: o Volátil.

ENXOFRE: Um dos princípios ocultos constitutivos da Matéria. Não tem nada em comum com o corpo vulgar deste nome. É também o símbolo do Ouro, preparado para Obra final.

ESFERA: Designa a unidade da Matéria.

ESPADA: Símbolo do Fogo.

ESQUELETO: Putrefação, a Obra no estado da cor negra. Sinônimo do Corvo

ESTRATIFICAÇÃO: Superposição, por planos alternados, de diversas matérias submetidas a um fogo violento, em um vaso fechado. A mistura se opera então por fusão, mas a superposição não é deixada ao acaso, ela deve ser racional e científica.

FAULX: Símbolo do Fogo.

FÊNIX: Símbolo da cor vermelha na Obra. O Ovo da Fênix é o Ovo filosófico. A Fênix é também o Enxofre e o Mercúrio dos Sábios unidos e conjugados no fim da Obra.

FIXO: O Enxofre metálico, ou cão Corascene.

FLORES: Representam geralmente as cores sucessivas que aparecem no curso da Obra.

FOGO: Um dos quatro Elementos dos Antigos. Não tem nada em comum com o fogo vulgar.

FOGO DE RODA: Primeira fase da Segunda Obra, fogo brando e lento.

FOGO DE SAIBRO: Interposição de saibro entre o fogo e o vaso contendo a matéria a tratar.

FOGO SECRETO: Espírito universal encerrado no seio das trevas metálicas, centelha de vida oculta em tudo o que está em seu estado natural primitivo.

FONTE: Três fontes representam geralmente os três princípios: Enxofre, Mercúrio e Sal. Ver também Banho. Há ainda outros aspectos desta palavra, que demandariam um desenvolvimento um pouco mais longo. Nós os encontramos notavelmente descritos nas obras de Fulcanelli.

FRIO: Uma das quatro qualidades elementares da Natureza.

HERMAFRODITA: O resultado da conjunção do Enxofre e do Mercúrio, chamado também Rébis.

HOMEM E MULHER: Enxofre e Mercúrio. Nus, designam o ouro e a prata impuros. Suas núpcias: conjunção do Enxofre e do Mercúrio. Encerrados em um sepulcro: os dois princípios unidos no Ovo filosófico.

JÚPITER: Símbolo do estanho.
LEÃO: Só: símbolo do Fixo, do Enxofre. Alado: o Volátil, o Mercúrio. O leão representa ainda o mineral (ou vitriolo verde), de onde extrai-se o óleo de vitriolo (ácido sulfúrico) do qual se servem os alquimistas. O leão, oposto a três outros animais, simboliza a Terra. É ainda o símbolo da Crisopéia.

LEOA: O volátil, o Mercúrio.

LIQUAÇÃO: O Ovo filosófico.

LOBO: Símbolo do Antimônio.

LUA: O Volátil, o Mercúrio, a Prata dos Sábios.

LUTO: Produto feito de matérias espessas e gordurosas destinadas a obturar as juntas que ligam diversos vasos entre si.

MARMORIZAR: Trituração das matérias sobre o mármore, com a ajuda de um pilão. Se diz também porfirizar.

MARTE: O ferro, a nuance alaranjada na Obra.

MATRAZ: Vaso de vidro, redondo, oval ou achatado, munido de um longo pescoço. Nele se
coloca para digerir a matéria preparada.

MÊNSTRUO: Águas vegetais ou minerais de propriedade dissolvente. Corrosivo.

MERCÚRIO: Um dos princípios ocultos constitutivos da Matéria. Não tem nada em comum com o
corpo vulgar deste nome. É também o símbolo da Prata preparada para a Obra final.

MONTANHA: Forno dos filósofos. Ápice do Ovo filosófico.

MORTIFICAÇÃO: Alteração da matéria por trituração ou adição de um elemento ativo.

NEGRO: Simbolizado também pelo Corvo. Imagem da putrefação.

NETUNO: A Água.

NÚPCIAS: Ver Casamento.

Por: Robert Ambelain
Colaboração: Marcelo veneri

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu e-mail para retornarmos seu comentário.