domingo, 15 de novembro de 2009

CHRISTIAN ROSENKREUTZ - Parte I


Pelo Ir.Tácitus:::

O quase mitológico personagem da tradição Rosacruz, ainda há muito o que ser estudado e pesquisado. Não há verdades nem fatos comprobatórios de sua existência e por tal, dezenas de teorias tentam sem sucesso estabelecer seu perfil e existência. E parece que cada linhagem “atual” tenta explicar da sua forma, tentando contextualizar dentro de seus ensinamentos.


O único ponto em comum nessas linhagens e teorias, é o da presença de Christian Rosenkreutz em todas elas, os papéis da Fama, Confessio e Bodas. E mesmo assim aqui já há incertezas.

Alguns atribuem a Valentin Andreas os escritos da Fama Fraternitatis e os demais ao círculo de Tumbingen, até mesmo ironizando como uma grande comédia. Outros atribuem os escritos ao filósofo da Sociedade Real, Francis Bacon onde esse era o Imperator da época e escreveu com seus auxiliares.

Creio que o importante aqui não seja o fato de quem escreveu os documentos acima, ou a discussão de sua possível real existência. No livro “Trilogia dos Rosacruzes – AMORC pg.34” lemos:
“1604 – 120 anos após a morte de Christian Rosenkreutz, seu túmulo é aberto na Alemanha, ou mais exatamente empreende-se a preparação de sua “abertura”. Depois em 1614-1615, um Mestre da Ordem daquela época abre a cripta na Alemanha, na presença de um bisneto de um dos três Mestres e Companheiros de C.R.C.. Nessa Ocasião, importantes instruções são transmitidas a Francis Bacon pelo segundo”.
A dúvida que fica então é: Se afirmam tão enfaticamente que C.R.C. tem sua existência apenas simbólica para o renascimento da Ordem em determinado lugar, como explicar que houve uma abertura de uma cripta com bisneto de um dos Mestre e Companheiros de C.R.C, em que foram transmitidos instruções a Francis Bacon?

Como já dito, não importa. O que o verdadeiro buscador deve se atentar é para o estudo profundo de C.R.C. em seus três documentos supra citados. Ele viaja por vários lugares em busca de conhecimento e os adquire, entra em contato com místicos e esotéricos da sua época. Retorna ao seu país de origem e começa seu trabalho. Ao longo de alguns dias tem todo o simbolismo alquímico de sua purificação e regeneração (11ºGT antigo).

Como a finalidade desse estudo é o foco biográfico em C.R.C. deixo para trás tais questionamentos nas mãos do leitor e que tire suas próprias conclusões. Abaixo alguns dados interessantes e curiosos pesquisados por Michel Coquet em seu “Luzes da Grande Fraternidade Branca – Ed. Madras”, membro da Sociedade Teosófica:

• Uma de suas primeiras encarnações foi na América do Norte, onde realizava um certo batismo, era Sacerdote, isso em 22.605 a.C.

• Em 20.400 a.C. Sumo Sacerdote num templo da Birmânia, próximo a Chandernargor.

• Em 18.200 a.C. estava numa ilha que hoje é o deserto do Marrocos e da Argélia. Era uma raça muito adiantada, semitas atlantes.

• Governador da Cidade das Portas de Ouro, onde morreu em 16.811 e encarnou mais tarde, no corpo de uma mulher que teve filhos entre eles o Mestre Koot Humi.

• Em 12.000 a.C. encarnou no Perú e por volta de 10.800 a.C. na China e depois em 2.900a.C. na ilha de Creta.

• Foi Santo Albano que morreu em 303. Albanus eram um nobre romano nascido na Grâ-Bretanha, em Verulam. Viveu em Roma onde foi iniciado nos antigos mistérios. Voltou à Grã-Bretanha e governou a fortaleza Verulam. Cuidava da manutenção dessa fortaleza e era chamado “Mestre de Obras”. Abraçou o cristianismo porém sem perder seu lado esotérico, os mistérios e a religião cristã para ele eram complementares, e não antagônicos. Por recusar prestar o culto ao imperador Deoclidiano, foi decapitado em 303.

• Nasceu como Proclus em 412 em Constantinopla. Estudou em Alexandria e Athenas, onde foi discípulo de Syriano. Participou do grupo iniciático de Pitágoras que era super restrito na época. Iniciado nos mistérios de Eleusis. “Um filósofo deve abraçar todas as religiões deixando que seu espírito o penetre”.

• Sua próxima vida foi como Roger bacon, nascido em 1214 em Lichester no Sommerset. Era o “Admirável Doutor” em Oxford. Se tornou frade franciscano em 1240. Considerado o Pai da ciência experimental. Nessa época já era Rosacruz, perpetuava uma ciência hermética trazida do Egito. Espírito pesquisador e científico. Aqui iniciou o seu trabalho que mais tarde veria a ser Francis Bacon, continuando seu trabalho. Escreveu entre outros “Opus Major”, “Opus Minus”, “Opus Tertium”, “Speculum Astronomiae”. Faleceu em 1294.

• Encarnou como Christian Rosenkreutz na Alemanha em 1375. Organizou a Ordem R.C. com mais 12 responsáveis. Sintetizou o conhecimento de todos e o seu para formar o verdadeiro corpo espiritual de C.R.C. Foi este trabalho que ele desenvolveu juntando conhecimentos dos 11 pais Rosenkreutz estabelecendo assim a primeira técnica R.C. com 12 caminhos.

• C.R.C. é o Mestre Rackozi, Mestre R.

.·.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu e-mail para retornarmos seu comentário.