domingo, 5 de abril de 2015

Doenças Espirituais Transmissíveis

Doenças Espirituais Transmissíveis
por Mariana Caplan, PhD
Adaptado do “Eyes Wide Open”
Cultivando discernimiento en el Camino Espiritual (Sounds True)

Estamos em uma selva e isto é válido tanto para a vida espiritual, quanto para qualquer outro aspecto da vida. Dá para acreditar realmente que, só por que alguém tenha meditado por cinco anos, ou praticado yoga por dez, seja menos neurótica que outra? Pode ser que seja sim, um pouco mais consciente. Um pouco.

É por esta razão que tenho passado os últimos quinze anos de minha vida investigando e escrevendo livros sobre o cultivo do discernimento no caminho espiritual em todas as áreas arenosas como o poder, o sexo, a iluminação, os gurus, os escândalos, a psicologia, a neurose e as confusas e inconscientes motivações no caminho. Meu companheiro e eu (autor e professor Marc Gafni) estamos desenvolvendo uma nova série de livros, cursos e práticas para lançar mais luz sobre estas questões.

Anos atrás, passei um verão vivendo e trabalhando no Sul da África. Logo que cheguei, senti o choque da realidade visceral na qual me encontrava; um país com a taxa mais alta de assassinato do mundo, onde a violência é comum e mais da metade da população é soropositiva – homens – mulheres – homossexuais – heterossexuais – igualmente.

Como cheguei a conhecer certos de Mestres espirituais e milhares de praticantes através de minhas viagens, me chamou a atenção a forma como nossos pontos de vista espirituais, perspectivas e experiências se encontram igualmente “infectadas” por “contaminações conceituais” – que compreende uma relação confusa e imatura em relação aos princípios espirituais complexos, o que podemos comparar com uma invisível e contagiosa doença sexualmente transmissível.

Os dez pontos abaixo não são definitivos, mas sim uma ferramenta para a tomada de consciência de algumas das doenças espirituais transmissíveis:

1.ESPIRITUALIDADE FAST-FOOD: Misturar espiritualidade com uma cultura que celebra a velocidade, multitarefas e gratificação instantânea, resulta em espiritualidade fast-food; produto da fantasia comum que entende que o alívio do sofrimento da condição humana possa ser rápido e fácil. Uma coisa é certa: a transformação espiritual não pode ter uma solução rápida.

2.FALSA ESPIRITUALIDADE: É a tendência de falar, vestir e atuar da forma que imaginamos que uma pessoa espiritualizada faria. É uma espécie de imitação de espiritualidade que copia a realização espiritual igual ao tecido da pele de leopardo, que imita a verdadeira pele do animal.

3.MOTIVAÇÕES CONFUSAS: Embora nosso desejo de crescer seja puro e genuíno, frequentemente se mistura com motivações menores, como o desejo de ser amado, o desejo de pertencer, a necessidade de preencher o vazio interior, a crença de que o caminho espiritual eliminará nosso sofrimento e a ambição espiritual, o desejo de ser especial e de ser o melhor, de ser o único.

4.A IDENTIFICAÇÃO COM EXPERIÊNCIAS ESPIRITUAIS: Nesta doença, o ego se identifica com a nossa experiência espiritual e a toma como própria; passamos a acreditar que estamos encarnando ideias que surgiram dentro de nós em certos momentos.
Na maioria dos casos, não dura indefinidamente, embora tenda a durar mais tempos naqueles que acreditam ser iluminados e ou atuam como Mestres espirituais.

5.O EGO ESPIRITUALIZADO: Esta doença ocorre quando a estrutura da personalidade egóica se torna profundamente enraizada aos conceitos e ideias espirituais. O resultado é uma estrutura do ego que é “a prova de balas”. Quando o ego se espiritualiza, somos relutantes a ajudar, às novas aberturas e a critica construtiva.
Nos tornamos seres humanos impenetráveis e refratários ao crescimento espiritual, tudo em nome da espiritualidade.

6.PRODUÇÃO EM MASSA DE MESTRES ESPIRITUAIS: Há uma série de tradições espirituais em moda atualmente que produzem pessoas que acreditam pertencerem ao âmbito da iluminação espiritual ou domínio, que está muito além de sua condição atual. Está doença funciona como um cinto espiritual transportador: basta colocar este artifício, alcançar uma visão e pronto! Já se está iluminado e da mesma forma, pronto para iluminar os outros. O problema não é aquilo que os Mestres ensinam, mas o fato de se apresentarem como tendo alcançado a maestria espiritual.

7.ORGULHO ESPIRITUAL: Surge quando o praticante, através de anos de penosos esforços, realmente alcança certo nível de sabedoria e utiliza esta conquista para justificar o fechamento para novas experiências. Uma sensação de “superioridade espiritual” é outro sintoma desta doença espiritual transmissível.
Manifesta-se como uma sutil sensação de que “eu sou melhor do que os outros”.

8.MENTE GRUPAL: doença também conhecida como pensamento de grupo, mentalidade sectária ou mentalidade de culto; a mente de grupo é um vírus insidioso que contém muitos dos elementos tradicionais de co-dependência. Um grupo espiritual possui acordos sutis e inconscientes com relação à forma correta de pensar, falar, vestir, agir. Pessoas e grupos infectados com a “mente de grupo” repelem os indivíduos, as atitudes e circunstancias que não se ajustam às normas não escritas do grupo.

9.O COMPLEXO DE POVO ELEITO: O complexo de pessoas escolhidas, não se limita aos judeus. É a crença de que o nosso grupo é o mais evoluído espiritualmente, potente, inteligente e em poucas palavras, melhor que qualquer outro grupo. Existe uma diferença importante entre o reconhecimento de que alguém tenha encontrado o caminho correto, o mestre ou a comunidade, por si mesmo, e o de ter encontrado o Eleito.

10.O VÍRUS MORTAL: “EU CHEGUEI LÁ”: Esta doença é tão potente que tem a capacidade de ser terminal e mortal para a evolução espiritual. É a crença de que se chegou à meta final do caminho espiritual. O progresso espiritual termina no ponto em que esta crença se cristaliza em nossa psique; no momento em que começamos a acreditar que chegamos ao final do caminho, o crescimento se detém.

“A essência do amor é a percepção, por tanto, a essência do amor a si mesmo é a auto percepção. Só é possível se apaixonar por alguém que se possa ver claramente. Incluindo-te a ti mesmo. Amar é ter olhos para ver. Só quando você ver a si mesmo claramente, poderá amar a si mesmo”.

O espírito dos ensinamentos de Marc, que acredito ser uma parte fundamental do discernimento no caminho espiritual é a descoberta das doenças generalizadas do ego e do auto engano que existe em todos nós. É quando necessitamos da boa vontade e apoio dos verdadeiros amigos espirituais. Enquanto enfrentamos nossos obstáculos para o crescimento espiritual, às vezes é fácil cair num sentimento de desânimo e perder a confiança no caminho. É preciso manter a fé em nós mesmos e nos outros, a fim de realmente fazer uma diferença no mundo.

Fonte aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu e-mail para retornarmos seu comentário.