domingo, 18 de janeiro de 2015

Comemoração de Nascimento de Saint-Martin



Comemoração de Nascimento de Saint-Martin
Pelo irmão +Tácitus

Em 18 de janeiro de 1743 nascia Louis Claude de Saint-Martin, o Filósofo Desconhecido ou melhor um deles.

Sua biografia é largamente publicada na internet em diversas línguas sob diferentes aspectos, além de estudado dentro de diversos círculos e grupos martinistas atuais.

Para conhecer "Martinismo" é preciso conhecer Saint-Martin, não apenas sob o enfoque histórico ou suas afiliações, essas as quais foram rompidas em determinada época da sua vida. É necessário conhecer Saint-Martin em sua "forma de pensar" e sua conduta, isso sem dúvidas vale tão quanto seus valiosos livros, ou ao menos nos auxiliará em o entender.

A maior contribuição que este Iniciado nos legou talvez seja, sem sombras de dúvidas, o fato de que a Iniciação Real é interior, única e pessoal, que há um único real Iniciador e que chegamos a ele, única e exclusivamente conforme nossos méritos conquistados pela auto-transformação sincera e focada, desde nossos pensamentos até o que falamos e o que fazemos.

Saint-Martin nos coloca frente a verdadeira escola iniciática: A Escola da Vida, com seu dia a dia e seus pormenores, escola essa em que todos aprendem e se elevam, a escola que nos coloca realmente frente a oportunidades da Iniciação.

Seu rompimento com as escolas iniciáticas deve-se unicamente a isto: trilhar o caminho interno, místico em busca do Real; muitas vezes em contra-posição ao externo, virtual rebuscado de teorias, títulos, cargos, graus e meros papéis sem valor algum.

Para Saint-Martin a via cardíaca era isso: comunhão, de nós como que há de mais elevado, nosso Eu Superior o qual chama Yeshuá; a via cardíaca é a escola do Sentir, reflexo e consequência do que pensamos e fazemos.

Assim meu caro, se quer saber como está sua "espiritualidade" e se está rumo a "Iniciação Real", analise seu coração e se nele há de fato, algo que o incomode, tome consciência da qualidade de seus pensamentos e tenha certeza que a causa ali está.

A Via Cardíaca também é a sinceridade na Busca, sem auto-ilusões daquilo que buscamos externamente e recebemos por ela, longe dos certificados da dita iniciação conferidos por homens que em sua maioria, estão longe do caminho interno, presos ainda a forma e não essência.

Saint-Martin nos propôs várias coisas, várias janelas ou portas indicando o caminho, ele mesmo dizia que seus próprios livros deveriam ser abandonados. Apesar de utilizar termos ocidentais ele nos mostra o tamanho desapego das formas em sua Busca. E foi isso que à partir de determinada época, transmitia aos seus dentro do Círculo dos Íntimos, a sinceridade na busca, a auto-transformação, o silêncio e a comunhão, sempre de forma incógnita.

A este Filósofo Desconhecido deixamos aqui nosso reconhecimento e gratidão pela sua obra, porém mais pelo seu exemplo e pela sua postura frente a espiritualidade.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu e-mail para retornarmos seu comentário.