segunda-feira, 11 de agosto de 2014

MORTE OU TRANSIÇÃO?



MORTE OU TRANSIÇÃO? 
 Cris R. Warken, F.R.C 

A humanidade, geralmente, considera a morte como o fim absoluto de tudo e, portanto, com desespero e tristeza. A morte é definida como total cessação de todas as funções vitais. Esta definição, contudo, refere-se apenas ao aspecto puramente físico da vida. 

Há outros planos de vida ou existência e cada um deles tem seu modo próprio de consciência. Cada um de nós deve evoluir e desabrochar para maior captação e compreensão dos inúmeros e aparentes segredos da natureza. 

O amor universal de Deus e do homem é uma função espiritual, embora só possa ser compreendida mentalmente. Deus é amor e bondade. E Ele não pode ser o criador da vida e depois destruí-la. A vida é eterna. Esta vida é uma escola de experiências, com muitas oportunidades para aprender e progredir. E quando estamos preparados, passamos para uma fase mais avançada de existência. 

Os místicos, em especial os Rosacruzes, chamam de “transição” esta passagem de um lugar ou condição para outro, com a cessação das funções vitais do corpo. À vida segue a vida. 

Serviço: Ordem Rosacruz, AMORC: Rua Nicarágua, 2620 - 82515-260 – Curitiba –PR. Tel:(41)3351-3000 - Internet: www.amorc.org.br / E-mail: rosacruz@amorc.org.br 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu e-mail para retornarmos seu comentário.