sexta-feira, 30 de julho de 2010

O CORAÇÃO E A ALQUIMIA DA VIDA


Por um Servidor Incógnito

INTRODUÇÃO

Como tudo nesta vida natural, no mundo em que vivemos, tem um começo, meio e fim, de conformidade com a Lei do Triângulo, também o Desejo de conhecer a Deus assim o é, mas por meio da Luz:

início: O despertar da Vontade, a aurora nascente do Desejo da Alma movida e sustentada pela própria Natureza Divina de que é constituída. Desejo que se apresenta e se manifesta de forma intensa e irreversível, transbordante e incondicional. Tal é o Desejo Verdadeiro. Ele será o veículo, o meio, a ferramenta, o recurso, a base e a condição única para se conhecer Deus. Este o trabalho a ser iniciado e realizado: promover este despertar, o despertar deste Desejo em si mesmo, através da VONTADE.

meio: O Caminho, a Escola Espiritual, que propiciará o aprendizado e aplicação das ferramentas necessárias ao Conhecimento. O sacrifício consciente da vontade da natureza dos desejos deste mundo, em favor do Desejo Divino. O domínio das tempestades emocionais e nascimento do verdadeiro ARREPENDIMENTO. O silêncio do ego para se ouvir a Voz do MESTRE INTERIOR, sua Consciência. O trabalho árduo e persistente na Jornada, e o auxílio sincero e amoroso aos irmãos com dificuldades. Compreensão do Sermão da Montanha e o exercício do Amor do Cristo pela Humanidade. As VIRTUDES em ação. A ORAÇÃO Verdadeira e a COMUNHÃO em Cristo.

fim: O Amor do Cristo (o Filho) em Deus (o Pai), iluminado pelo Espírito Santo (a Mãe). Ser em Deus. Uno na Santíssima Trindade de Deus.


CORAÇÃO: O ATHANOR ALQUIMICO DA VIDA

Vamos examinar como se processa a alquimia interior do Buscador da Luz, no Coração, seu Athanor Alquímico Interior.

Considerando o coração como o grande centro, o cadinho, o forno atômico onde será executado todo o processo de transmutação da natureza do corpo de desejos deste mundo, no Corpo de Desejo Glorioso do Cristo. Neste processo e trabalho, a aplicação e determinação da vontade é decisiva e o apoio incondicional da consciência é imprescindível e condicionante do resultado desejado. Como se pode ver, a tarefa do Alquimista do Coração na Luz será árdua e o Mestre Interior, sua Consciência, se posiciona junto a ele para auxiliá-lo no empreendimento a ser realizado.

Quando o neófito e discípulo se aproxima da Oficina Sagrada do Athanor Alquímico, ele deve portar em sua compreensão a cristalina distinção entre a SALVAÇÃO E LIBERTAÇÃO:

SALVAÇÃO:

Todos já estamos salvos pelo conhecimento da existência do Reino de Deus, que é possível alcançá-lo pela Fé e Confiança. O que pode atrapalhar é a crença somente que devemos nos cuidar para não cair em tentação, sermos piedosos, compassivos, bondosos, caridosos, humildes, simples e outras tantas qualidades que se pode esperar de um devotado praticante dos mandamentos e doutrinas religiosas enraizadas no consciente do homem, profundamente, e cumpridor das leis morais e sociais.

Se ocorrer de cometer alguma falta, erro ou pecado, crê-se ser suficiente contristar e suplicar o perdão Divino, prometer a si mesmo e a Deus que não irá mais incorrer no erro que praticou (por força do “tentador” ou dele mesmo), retornando, outra vez, na Graça de Deus. Considere há quanto tempo essa “rotina”, esse círculo vicioso se repete sempre com os mesmos resultados ?. Ë como andar sem sair do mesmo lugar, andar em círculos, ou sair e voltar ao ponto de partida. Sempre.

Mas vamos procurar simplificar e entender o significado do “estamos salvos”:

Estamos SALVOS APENAS da ignorância da existência do Reino de Deus, que foi enunciado categórica e inquestionavelmente pelo Mestre da Luz, e que podemos ter em mãos os meios para que cada um possa realizar sua própria REDENÇÃO e RESSURREIÇÃO em CRISTO, sem depender de “intermediários”, gurus ou mestres “autorizados”, libertando-se da natureza deste mundo regido pela vaidade. Vencer o príncipe deste mundo e seus “exércitos” que nos mantém no cativeiro erro da Queda, na ignorância, neste mundo de servidão.

E procurar compreender o que possa ser REDENÇÃO e RESSURREIÇÃO:

REDENÇÃO:

Ponto de fundamental importância compreender para realiza-la.

Por Redenção pode-se entender RENDER seu Desejo e Vontade ao Mestre Interior, sua Consciência, parte da Unidade de Deus em seu Interior. Isso tem que ser espontâneo e partir do eu exterior para que possa ser absorvido pelo Amor do Cristo. Este trabalho é realizado no Athanor, no Forno Alquimico do Coração e deve ser conduzido pela Alma, pelo Mestre Interior, com a permissão e participação ativa da vontade do ego, que nesse ponto não só deve estar predisposto como até mesmo aflito pelo trabalho de transmutação (lembrando que estamos considerando apenas aqueles que verdadeiramente estão no Caminho).

E como podemos realizar isso consideraremos mais adiante.

RESSURREIÇÃO:

Eis aqui o outro ponto crucial da Jornada, que podemos traduzir por TECER O MANTO DE ELIAS dentro do Athanor do coração.

Ë a construção do CORPO DE DESEJO DE DEUS, o CORPO CRISTICO.

Esse Corpo Crístico, o Manto de Elias, é a Veste Divina tecida pela Alma, na demolição das vontades e desejos deste mundo e reconstrução do Corpo Divino, para vesti-la e protegê-la, e se ocultar, dos ataques das trevas da ignorância constituída da natureza dos desejos e vaidades deste mundo.

É também a Veste Nupcial cantada nos versos da Gnosis Cristã. Veste essa que adorna e embeleza a Divina Sofia para o casamento do Cordeiro em S.João (Apocalipse).

Só com ela se pode entrar pelo Portal do Reino de Deus até o Salão das BODAS ALQUIMICAS.

Serão testemunhas os Seres Santos e Angélicos de Deus. Cristo é o Noivo, a Sofia a Divina Noiva.

A Gnosis, Madrinha, estará em júbilo.

Consumado será. Refar-se-á a Luz na Alma.

Ela estará de volta ao Lar. Velar-se-á a Luz da natureza dos desejos deste mundo.

A Unidade com o Pai estará realizada.

Mas não vamos nos perder no brilho dos devaneios e sonhos destas considerações, pois necessário se faz empreender a tarefa proposta que consciente, decidida e decisivamente deve-se realizar.

A Promessa pode deixar de ser promessa se trabalharmos e nos dedicarmos e ela com DEVOÇÃO e AMOR incondicional ao Cristo. Portanto, mãos à Obra.

O Prana, Essência Cósmica, retirado pelos pulmões é adicionado na corrente sanguínea através do coração, e misturado, por um processo que podemos chamar de amalgamento, aos nutrientes que a corrente sanguínea contém (nutrientes estes adicionados via fígado e baço, e proveniente dos alimentos líquidos e sólidos ingeridos e digeridos pelo estômago). Essa mistura amalgamada é transportada a todo o organismo através do sistema de circulação sanguínea e sistema linfático.

Não iremos examinar aqui os detalhes que compõe o processo todo, não é nossa tarefa.

O que particularmente nos interessa de fato são os SENTIMENTOS E EMOÇÕES (amálgama), que também são determinantes da qualidade da energia que injetamos no corpo físico, e conseqüentemente nos demais corpos. Então prana + nutrientes + sentimentos/emoções serão objetos de nossa atenção. Com muita atenção devemos considerá-los, pois com plena consciência e muita, muita mesmo, dedicação e persistência, é que se fará o trabalho de auxílio ao Mestre Interior. Temos uma “batalha” a ser vencida sobre a vaidade e os prazeres que nos “amarram”, nos “escravizam” aos desejos deste mundo. Pois então, ela já começou, frente a frente, “exército” contra “exército”, Luz da Verdade versus as trevas da ignorância, vaidade e natureza dos desejos deste mundo. E está exclusiva e unicamente na mão do Buscador da Luz o processo todo, com condução sempre presente do Mestre Interior e seus impulsos firmes e seguros, assistido que está pela Ekklesia do Cristo.

Tudo pronto e preparado, o Manto de Elias começa a ser tecido.

Os sentimentos e emoções passam a ser observados desde o seu nascimento, acompanhados em toda sua evolução, assistido em toda atuação e influências na mente e no corpo físico, as conseqüências e seqüelas que deixam após todo o estrago que fizerem no interior e no exterior, se forem más e destrutivas: ciúmes, inveja, ira, medo, despeito, frustração, etc. – provocado pela vaidade e desejos deste mundo. Se forem “boas e construtivas” um outro tipo de conseqüências e seqüelas poderão observadas após a passagem: alegrias, satisfação, perdão, carinho, amizade, conquistas pessoais, etc. – todas passageiras e também proporcionadas pela vaidade e desejos. Se entrarmos mesmo no âmago das conseqüências e seqüelas das ocorrências tidas “boas e construtivas”, inclusive piedosas e cristãs, iremos enxergar também a necessidade e luta, constante e quase sempre sobre-humana, empreendida para tornar duradouro e permanente a duração destes momentos e sensações prazerosas, satisfatórias, e mesmo benéficas. Mas como neste mundo tudo tem um começo, meio e fim, onde a lei da vida da natureza deste mundo de desejos da vaidade mostra toda a imperfeição e ilusão em que vivemos, um ditado popular é o que melhor expressa essa verdade:

“Não há mal que dure para sempre, nem bem que nunca se acabe”

Na manutenção dos bens conquistados, do amor do amado(a), do cargo ocupado, da satisfação da nova aquisição, etc., reside o cuidado permanente na preservação destes. As tristezas, decepções, frustrações poderão vir inevitavelmente. As energias, que deveriam ser utilizadas para fins de Libertação, ficam aprisionadas pela natureza dos desejos deste mundo. Dentro do circulo do nascer, viver e morrer. Não se percebe que, em verdade, nenhum bem, veja caro neófito e discípulo, nenhum bem, mesmo, irá acompanhá-lo no retorno ao pó da terra no fim da vida. Mesmo que sejam enterrados juntos com o corpo físico, não vão junto para a vida além tumulo. Tudo o que irá é somente a Consciência. Então, que tal considerarmos agora seriamente o trabalho, em pleno andamento, sem cair nas armadilhas deste mundo, para deixar de continuar a ser como mais um servo da ignorância, dos desejos e da vaidade ? Escravo dos sentimentos incontroláveis, das emoções, das paixões, das sensações ?

Agora já podemos considerar estes mesmos sentimentos, injetados e misturados continuamente no Athanor do Coração, com uma visão mais limpa e consciente das conseqüências, apoiados pelo diagrama de representação da Alquimia da Vida, no final do texto.

Na mistura dos três elementos no coração, (prana + nutrientes + sentimentos/emoções) o que se deve manter em mente primeiramente é a qualidade do alimento sólidos e líquidos que ingerimos para manutenção do corpo físico, e do ar que respiramos. Uma alimentação razoavelmente saudável pode contribuir para uma boa condição física. Agora vamos imaginar os sentimentos e emoções, que alimenta também os todos os corpos, se misturando (amalgamando) com os nutrientes e prana, e sendo distribuído através do sangue e linfa em TODAS AS CÉLULAS DO CORPO. Ora, se toda célula tem uma consciência própria para participar do conjunto do órgão onde faz parte, então o conteúdo do sangue e linfa é que determinará a qualidade da saúde e vida interna da célula, do órgão, do conjunto do corpo físico enfim, e conseqüente consciência geral resultante da soma das consciências celulares. Pode-se imaginar uma possível origem de doenças, de câncer aqui? Uma célula (ou células), face à qualidade alimentar orgânica, deixando de executar a tarefa peculiar à sua natureza e missão, como irá se comportar no órgão e conjunto do corpo, se “resolver” (ela tem consciência) mudar suas próprias atividades contrariando a economia local? Como as células vizinhas e irmãs irão reagir? Como o corpo reage quando alguma anomalia, estranha ao funcionamento normal do organismo e órgão, se faz presente? A célula se defenderá se o governo orgânico procurar eliminá-la como medida de segurança local e geral, mas e se ela puder se multiplicar e provocar um caos local ?

Vamos considerar uma outra situação: a célula não altera suas funções orgânicas básicas, mas não trabalha com eficiência. Então é rejeitada e descartada (ou se desliga ou desprende) do sistema local orgânico, se depositando em outro órgão e continuando a realizar as mesmas funções e ações inerentes somente ao local de onde proveio. Não provocaria também um caos no local onde está estacionada e deficientemente operante ?

Será salutar meditar profunda e cuidadosamente até se obter respostas interiores para o processo alquímico interior, que se realiza através do coração, antes de partir para a parte mais difícil, que agora já não será tão difícil assim, nem por isso fáceis, pois a vaidade e os prazeres deste mundo podem seduzir novamente a qualquer oportunidade, por mínima que seja, estrategicamente retardando e estacionando o avanço, pois sabem muito bem que a hora deles há chegado, e não se entregarão sem “luta pela sobrevivência e existência”. NÃO MESMO.

Assim temos de nos “limpar” do alimento “sentimentos e emoções” indesejáveis que corrompem a economia vital de nosso ser, se quisermos vencer o príncipe da natureza dos desejos deste mundo, que continuamente nos escraviza na vaidade, e nos consome pela ignorância, na linha do tempo da natureza decaída.

Como a ingestão dos líquidos e sólidos é uma questão de consciência alimentar e física, então o neófito e discípulo não precisa de maiores comentários referentes a isso, pois sabe muito bem como essa “limpeza” deve, é necessária e pode ser feita através de uma alimentação sadia e natural, etc..

Passemos então ao próximo passo: a “limpeza e purificação dos sentimentos e emoções”.

Tarefa tão gigantesca quanto ingrata, quase impossível, pois se trata da “morte dos prazeres e desejos” da vontade do eu exterior. É a temível “luta” interior que o neófito e discípulo vem retardando ao máximo, nunca considerando ou se colocando pronto para o desafio (mas em plena ação nas mãos do Mestre Interior, sua Consciência). Mas a hora chega e ele (o ego) tem que partir para a “batalha”, agora também para não ser lançado de volta ao “inferno” em que estava no inicio da Jornada, pois sabe muito bem das conseqüências da volta a este “inferno”. O neófito e discípulo jogaria fora Diamantes de Luz duramente conquistados ?

Difícil e quase impossível tarefa à frente, mesmo para começar. O Buscador da Luz considera a importância da preparação e antecipação do trabalho de demolição e reconstrução do corpo de desejos das paixões, emoções e sensações deste mundo, iniciando a inibição da ação do fogo da vaidade em si mesmo. E começa observando a atuação da vaidade, em suas multiformes manifestações, nos outros e no mundo em que está.

Neófito e discípulo, apenas observe como ela, a vaidade, se apresenta em múltiplas formas e atua como parte intrínseca da vida da humanidade, quase sempre inconsciente que é, pois é assim que se apresenta e atua em ti mesmo. Pense cuidadosamente nas conseqüências que podem advir ao procurar apontar, alertar e advertir, ou mesmo acusar, a manifestação da vaidade nos outros, para se evitar a instalação de desconfortos, antipatias e inimizades, uma vez que, praticamente, avaidade não admite admoestações, advertências e/ou acusações.

O neófito e discípulo já admite isso?

Olhando a humanidade estará olhando para si mesmo.

Comece então o trabalho de inibição da presença da vaidade e sua nefasta atuação através da satisfação dos desejos dos prazeres deste mundo, até sua completa transmutação e erradicação.

O Buscador da Luz, consciente que não pode enfrentar todos seus defeitos e natureza dos desejos deste mundo ao mesmo tempo, seria “suicídio”, aprende quedeve enfrentar um de cada vez.

Convém colocar agora que a “luta”, o “combate”, a “batalha”, “a guerra” e outras expressões com conotação de força e agressividade, usadas aqui em caráter puramente simbólico, nada mais são que a OBSERVAÇÃO, CONSTATAÇÃO, PACIFICAÇÃO e EXTINÇÃO da natureza dos desejos deste mundo corrompidos no homem.

Pode-se começar pelo estudo cuidadoso do diagrama a seguir, A ALQUIMIA DA VIDA.

A Prece e a Oração são a fonte de abastecimento de energias e ponto de apoio.

As Hostes Angélicas e os Seres Santos estão posicionados e se movimentam no Auxílio.


Mãos à Obra.

Vigiai e Orai.

Um comentário:

  1. agradeço de coração pela verdade sinceramente expressa neste trabalho
    alegria espiritual pura e paz neste mundo é o meu desejo sincero ao autor(es)
    Marcio Cunha Fatureto

    ResponderExcluir

Deixe seu e-mail para retornarmos seu comentário.