quarta-feira, 17 de março de 2010

Irmão Sémelas, o revelador dos “Irmãos do Oriente” - Parte I

" A lenda da existência dos Irmãos do Oriente foi divulgada por um S::: I::: de boa fé, de nome Dupré, que a conhecia por meio de uma tradição verbal de outro S::: I::: de origem grega chamada Sémelas. Porém de onde Sémelas extraiu estas informações, desconhecemos." Ir.'. R.A.



Dimitri Platón Sémelas




Conhecido como o fundador da "Ordem da Liz e da Águia", representante da Ordem Martinista no Egito, membro dos "Irmãos do Oriente" (Frérés d'Orient) do qual foi tido como porta-voz junto com Papus.

Nascido no Egito em 1883, Dimitri Platón Sémelas conclui seus estudos de medicina na Universidade de Atenas, começando a praticar ocultismo, sob a orientação de um Irmão cujo nome permanece desconhecido. Retornando ao Egito, Sémelas se casou e teve um filho chamado Platón. Em 1909, no Cairo, conhece um casal, Eugéne Dupré que era funcionário francês a serviço do governo do Egito e sua esposa Marie Dupré. Os três fundaram em 1914 a curiosa “Ordem do Lírio e da Águia”.

Sémelas e o Martinismo no Egito

A partir de 1911, algumas cartas foram trocadas entre o Ir.’. Papus (Dr. Gerard encausse) e o Ir.’. Sémelas.

Em 10 de janeiro de 1911, foi apresentado ao Ir.’. Papus uma petição de admissão à “Ordem Martinista” à Sémelas, que foi entregue e recomendada pelo Ir.’. Edward Troula.

Em 12 de janeiro, o próprio Ir.’. Sémelas formulou sua petição em uma carta ao Ir.’. Papus que, em 20 de janeiro, foi contestada por seu secretário redirecionando-a ao Ir.’. Verzato, que na época era delegado da Loja Mãe Hermes, e delegado da Ordem Martinista no Egito. Sua inciação somente serviu de entrada na Ordem, pois em 17 de junho de 1911, o Ir.’. Sémelas estava feliz em anunciar ao Ir.’. Papus que ele era um Livre Iniciador.

Alguns meses mais tarde, em novembro de 1911, quando o Ir.’. Georges Lagréze, Inspetor Principal da Ordem Martinista, chega ao Cairo, onde Sémelas presidia a Loja “Templo Essênio”. O Ir.’. Lagréze, que havia obtido o endereço do Irmão Sémelas através do Ir.’. Papus, e assim que o encontrou, e durante alguns meses depois, trabalharam juntos na propagação do Martinismo no Egito, depois de haver retirado o Ir.’. Verzato dos trabalhos martinistas, já que este foi julgado desonesto.

Em 30 de janeiro de 1912, foi o Ir.’. Lagréze quem apresentou ao Ir.’. Papus uma nova petição de admissão do Ir.’. Sémelas, mas desta vez, ele pedia admissão à Ordem Kabalística da Rosa+Cruz. Na petição questionava: “ Quais os pré-requisitos necessários a admissão” e a resposta do Ir.’. Papus veio em uma curta nota: “ São necessários, ao menos, 5 anos de Martinismo. Existem condições especiais.”

Agora, passado o tempo mínimo, Ir.’. Sémelas estava apto e o Ir.’. Lagréze prossegue em sua indicação: “o Ir.’. Sémelas prossegue em suas conferências e atualmente aborda especialmente a parte elemental do astral. E envia ao Ir.’. Papus os exemplares contendo os textos. Seguramente este Ir.’. sería um excelente membro da Ordem kabalística – disse também que conhece a constituição e regulamentos da Ordem. Este Ir.’. “viajou” astralmente muito à Paris e assistiu a diferentes reuniões das Lojas Martinistas das quais ofereceu interessantes e detalhadas descrições.”

Traduzido pelo Irmão AEL S:::I:::

continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu e-mail para retornarmos seu comentário.