terça-feira, 17 de novembro de 2009

CAVALEIROS DE PHILIPPE DE LYON



O QUE SIGNIFICA SER UM CAVALEIRO DA
GRANDE ORDEM DOS CAVALEIROS DE PHILIPPE DE LYON?

(Adaptado de O Semeador da Nova Raça, órgão informativo mensal de divulgação da Igreja Expectante - edições 111 e 112 - AGO-SET/1987)

A Igreja Expectante oferece duas linhas de serviço: a Sacerdotal e a Mística.

O verdadeiro Sacerdote é alguém intensamente dedicado a servir à humanidade, contando para isso com o amparo e a inspiração dos Mestres. Já o caminho místico é interno, menos visível, e quem o percorre concentra suas forças na busca de iluminação espiritual.

Contudo, a imagem do Cavaleiro é algo nebulosa. Vamos tentar defini-la.

A primeira característica do Cavaleiro é o auto-domínio. Desde a antiga tradição heróica grega, estabelecida por Homero e continuada por Virgílio, é louvada a virtude do homem que controla suas emoções, de modo a sair-se bem dos desafios impostos pela vida. Tal auto-domínio significa controlar impulsos de raiva, inveja, medo, desonestidade, traição e violência, por exemplo.

A segunda característica do Cavaleiro é o respeito pelos outros seres humanos. Um cavaleiro não se deve permitir criticar alguém, pois a ignorância, a pouca consciência interior, o apego doentio a valores egoístas e falsos geralmente constituem a raiz dos erros das pessoas. E o cavaleiro sabe que, em maior ou menor grau, tais defeitos participam também de sua natureza.

Em terceiro lugar, como a lenda do Graal tão bem ilustra, o Cavaleiro deve estar ciente de que uma certa pureza prática da vida é indispensável para sua estabilidade interior, e para que ele possa ter o mínimo de segurança em seu relacionamento com as forças das trevas existentes no mundo.

Este é o ponto prático fundamental: ninguém está livre do contato (e de eventual contágio) com as trevas. Só a pureza pode, graças à lei de afinidade, proteger o Cavaleiro em seu percurso pela roda das encarnações.

O Cavaleiro deve ter em mente que sua Sagração significa a escolha de um ideal. E que ele vai ser de fato um Cavaleiro na medida em que esse ideal tornar-se vivo nele.

O Mestre Sevãnanda, segundo Papus, dá as seguintes condições que um Cavaleiro deve atender ("Yo que Caminé por el mundo", página 295):

a) Capacidade de fazer uma síntese intelectual (a fim de evidenciar discernimento: qualquer Cavaleiro sem discernimento é presa fácil das ilusões das trevas pessoais e mundanas)


b) Capacidade de equilibrar o estudo por uma forte ação de serviço;


c) Capacidade de harmonizar tudo e vivificá-lo por forte onda mística (é preciso pôr o coração nas ações);


d) A oração é a base de tudo. Sem oração sentida não pode haver realização, nem cristã, nem mística, nem transcendental.

Um cavaleiro do Mestre Philippe de Lyon é um postulante a ser seu discípulo. Portanto, além dessas condições, um Cavaleiro do Mestre Philippe de Lyon deve controlar suas palavras, praticar a caridade (no sentido mais abrangente do termo) e AMAR prática e efetivamente aos outros.


.·.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu e-mail para retornarmos seu comentário.